Seg. Out 19th, 2020

Tudo sobre o Karting de competição

EasyKart encerra o ano com chave de Ouro

12 min read

 

Foi na capital da região centro-sul de Portugal, a magnifica cidade de Évora, mais precisamente no legendário kartódromo de Évora, que a Birel Art Portugal escolheu realizar a prova de encerramento do Trofeu EasyKart 2019, prova que contou com 45 pilotos nas varias classes.

Quando digo legendário kartódromo de Évora, relembro toda a historia e principalmente a contribuição que este espaço deu ao Karting Nacional.

Tendo sido inaugurado a 15 de Novembro de 1987, por Dick Peters, com a taça de Portugal, logo se destacou pela forma como começou a chamar pilotos para esta modalidade, em 1990 lançou o Troféu Dianakart que rapidamente se tornou na mais prestigiada competição de Karting em Portugal. Nos anos seguintes esta prova passou a ter forte visibilidade mediática, dando projecção nacional à modalidade e ao kartódromo de Évora, que passou a ser referência de norte a sul de Portugal e mesmo em Espanha.

Sempre com o intuito de oferecer melhores condições, em 1995 realizaram melhorias nas instalações e ampliaram o perímetro da pista que inicialmente tinha 680 metros para os actuais 908 metros, construíram uma bancada panorâmica, oficina, escritório e loja.

Com a ampliação da pista, esta passou a ser totalmente iluminada, permitindo a prática da modalidade a qualquer hora do dia ou da noite, dando o pontapé de saída para as “24 Horas de Évora” evento que impulsionou o karting de lazer para um patamar superior. Em 1997 lançou o troféu empresas, com o patrocínio da Porta da Ravessa.

Mas se este espaço esta carregado de historia tal como a cidade onde ele se insere, esta que foi a ultima prova do Trofeu Easykart teve uma historia muito especial.

Nas fileiras da TAG Livre um nome sobressaia dos demais.

Harm Schuurman historia viva do karting Mundial, que em 1979 conquistou o 3º lugar no Campeonato Mundial como piloto da fábrica “Dino” prova onde o famoso Ayrton Senna se classificou em 2º lugar, de 1980 a 1986 foi piloto da marca Dap, onde contou com colegas de renome mundial, como Senna, Modena e Zanardi.

Harm Schuurman que apesar dos seus 65 anos demonstrou em pista, ao volante de um TonyKart X30, a sua excelente forma física, e que ainda hoje é senhor de uma técnica impressionante oferecendo-nos momentos de condução pura.

EasyKart 35

Classe de entrada onde a idade dos pilotos oscila entre os 5 e os 7 anos, os karts são equipados com motores OHC GX35 de 1.5 CV, contámos com cinco pilotos, sendo o algarvio José Pinto, piloto preparado pelo Bruno Correia, foi o senhor do fim de semana.

Nos Cronometrados, José Pinto (#18) percorreu os 908 metros da pista de Évora em 1:06.032 segundos perfazendo uma média horária de 49.503 Km/h, na primeira e segunda manga dominou por absoluto confirmando a sua excelente performance e constante regularidade rodando sempre no 1:06.

This slideshow requires JavaScript.

Francisco Aguiar (#26) piloto que se estreou neste trofeu, teve neste fim de semana uma estreia excelente, nos cronos consegue o segundo tempo, em ambas as mangas de qualificação classifica-se em terceiro, na final sempre muito regular termina no segundo lugar final, conseguindo desta forma o seu primeiro pódio, logo na estreia do trofeu EsayKart, em terceiro terminou Santiago Alves (#21), que nos cronos conseguiu o quarto tempo bem como em ambas as mangas de qualificação, subindo uma posição na final. De destacar a prova de Francisco Igreja (#14), que nos cronos e em ambas as mangas de qualificação bem como na final se manteve na segunda posição só perdendo o lugar no decorrer da derradeira manga, no decorrer da primeira volta um pião lança-o para a ultima posição, ainda consegue recuperar uma posição termina em quarto. Francisco Sotto Mayor (#7) sendo o mais inexperiente e contando com mais seis quilos do que a média dos outros pilotos, esteve mais uma vez em adaptação, dando sinais de uma boa evolução, não conseguindo, contudo, evitar o terminar em 5 lugar.

 

EasyKart 60

Equipada com motores BMB de 60 cc e 8 cv, contou com 5 pilotos com idades entre os 7 e os 12 anos.

Desde muito cedo um trio se destacou neste quinteto de jovens promessas, Gonçalo Dias (#67), Diogo Frias (#96) e Gustavo Silva (#95). Nos os cronos Gustavo Silva foi o mais rápido realizando o tempo de 47.090 a escassos 0.087 de Diogo Farias (#96) com o segundo melhor tempo.

Nas mangas de qualificação Gonçalo Dias (#67) que nos cronometrados se ficou pela terceira posição, frisou que estava para discutir o lugar da frente, marcando o segundo lugar como seu em ambas as mangas, Gustavo Silva com a Pole manteve o primeiro lugar em ambas as eliminatórias,  travando uma excelente luta com Gonçalo Dias e Diogo Farias que se classificou em terceiro, rodando o trio sempre muito juntos, destacando-se do quarto que era Romeu Ribeiro (#71), ainda numa fase de aprendizagem nesta nova classe e o Tomás Teixeira (#61), estreante nestas andanças das corridas.

This slideshow requires JavaScript.

Na final, mais uma corrida em dois sectores, Gustavo, Gonçalo e Diogo realizam uma prova fantástica, e no decorrer da segunda volta das 13 realizadas ao circuito de Évora, Diogo Frias toma a dianteira seguido de Gonçalo Dias, caindo para terceiro Gustavo Silva, que tinha dominado até então. Na ultima volta a três curvas do fim, Gonçalo Dias consegue dobrar Diogo Frias e vence a prova com a vantagem de 0.192. Gustavo Silva tudo fez para inverter a situação realizando mesmo a volta mais rápida na penúltima volta ao circuito, no segundo sector, Romeu Ribeiro termina em quarto e Tomás Teixeira em quinto.

Easykart 100 e 125

Com um total de 12 pilotos (seis na 100 e seis na 125), sendo os Karts 100 equipados com motores BMB de 100cc de 15 CV, e os pilotos com idades entre os 11 aos 15 anos, a classe 125 equipa com motores BMB de 125cc com 25 CV, contando os pilotos com idade superior a 15 anos.

Ao correrem juntos, estas duas classes permitem-nos verificar o equilíbrio existente nos motores da Marca B.M.B. Motorsport Engines, pois apesar de existirem 10 cv de diferença entre eles, reparamos que certos pilotos da EasyKart100 conseguem disputar os lugares da frente com pilotos da Easyart125.

Nos cronometrados, na geral e na EK125, Guilherme (#207) realizou a volta mais rápida 43.007, deixando a concorrência directa em pista e no trofeu o piloto Dinis Fialho (#224) (conhecido como o Verstappen das Alcáçovas) a 0.716, em terceiro ficou João Corte Real (#269) o Master da Classe.

Na EK100 Guilherme Dias (#167), apesar de só ter dado seis voltas por problema técnico, foi o mais rápido com o tempo de 44.126, Francisco Domingos (#116) foi o segundo a escassos 0.516 e Duarte Monte (#111) o terceiro a 0.568.

A primeira manga foi a mais disputada de todas. Guilherme Dias faz uma largada impressionante, tomando a dianteira até ao final da 12ª volta das 15 que tinham de realizar, altura em que um problema mecânico o forçou a abandonar. Dinis Fialho no decorrer da primeira volta perde duas posições, caindo para terceiro, recupera e assume a liderança no final da 12ª volta. Guilherme Lopes no arranque cai para 11ª posição realiza uma prova impressionante e em 12 voltas recupera 8 posições terminando em terceiro. Francisco Domingos com um fim de semana complicado, derivado a uma forte indisposição provocada por algo que comeu, na largada recupera duas posições, subindo para segundo na classificação, mas não consegue manter e termina em quarto. João Corte Real (#269) com um andamento muito bom inicialmente ocupa a sexta posição, consegue recupera e termina no segundo lugar. João Coelho (#116) largando da quinta posição, consegue manter e termina na mesma posição, Duarte Monte com muito trabalho consegue a sexta posição, Rúben Durão termina em sétimo e Frederico Coelho (#169) termina em oitavo. Mário Leão (#222), Tomás Vilas Boas (#215) e Guilherme Alves (#129) não terminam a prova.

This slideshow requires JavaScript.

Na segunda manga Guilherme Lopes (#207) não arranca bem, mas no decorrer da segunda volta ao circuito de Évora, toma a dianteira da prova vencendo com confortável vantagem, realizando a volta mais rápida percorre os 908 metros da pista de Évora em 43.380, a uma velocidade média de 75.353Km/h.

Dinis Fialho (#224) que dominou a prova nas duas primeiras voltas termina em terceiro, Duarte Monte (#111) que no arranque estava na sexta posição recuperou três posições terminando na terceira posição entrepondo o seu EK100 entre os EK125, João Corte Real não teve a sorte do seu lado, no arranque tomou a segunda posição e viu-se no meio de um toque no final da reta na meta, no decorrer da 10 volta, altura em que atacava a terceira posição, partiu a corrente do seu kart e teve de abandonar. Francisco Domingues durante a primeira volta perde 6 posições termina em nono lugar, João Coelho larga de quinto realizando uma prova constante consegue no decorrer da decima volta subir um lugar na tabela e termina em quarto, Duarte que inicialmente estava na sexta posição recupera três posições durante a primeira volta e termina em terceiro. Ruben Durão arranca da sétima posição recupera um lugar logo na primeira volta e na decima assume a quinta posição final, Guilherme Alves de oitavo nas duas primeiras voltas perde 4 posições conseguindo recuperar uma posição durante a quinta volta e na decima volta sobe para decimo, posição em que termina. Frederico Coelho ganha uma posição na largada, mas perde quarto posições entre a segunda e a sexta volta, recupera uma posição no decorrer da decima volta terminando no decimo primeiro lugar. Guilherme Dias largando de decimo perde duas posições e realiza uma excelente recuperação terminando em sexto, Mário Leal arranca de decimo primeiro lugar, terminando em sétimo e Tomás Vilas Boas largando de ultimo consegue terminar na oitava posição.

This slideshow requires JavaScript.

Na Final Dinis Fialho sagra-se vencedor, liderando a prova a partir da sétima volta, Duarte Monte termina na segunda posição trocando posições com Dinis Fialho e Guilherme Lopes que termina em terceiro, João Coelho envolve-se num toque na final da reta da meta com o João Corte Real, caindo para ultimo, consegue recuperar duas posições terminando em décimo, Ruben Durão larga do quinto posto e termina no terceiro lugar, Francisco Corte Real estava em maré de azar e mais uma vez teve de abandonar no decorrer da segunda volta, Guilherme Dias arranca da oitava posição sobe quarto posições até há oitava volta, altura em que volta a perder duas posições  recuperando entre a 12 e 17 volta, terminando na quarta posição. Na quinta posição termina Guilherme Lopes que largando da terceira posição, durante as duas voltas iniciais cai para o decimo lugar, consegue uma recuperação fabulosa de oito posições em 14 voltas, ocupando o segundo lugar, envolve-se num pequeno toque com outro piloto, perde três posições e termina em quinto, Francisco Domingos, realiza uma prova constante e termina no mesmo lugar em que partiu, ou seja, na sexta posição. Na sétima posição termina Tomás Vilas Boas que consegue recuperar quatro posições, em oitavo termina Guilherme Alves, em nono lugar termina Mário Leal e em decimo primeiro fica Frederico Coelho que não consegue terminar a prova abandonando na decima quinta volta.

Na categoria Easykart125, os pilotos Dinis Fialho (#224) e Guilherme Lopes (#207) terminaram o troféu no topo da classificação com o mesmo número de pontos, e ainda obtiveram o mesmo número de vitórias, segundos e terceiros lugares. Deste modo, e aplicando o último critério de desempate, o piloto Dinis Fialho foi declarado vencedor do troféu na categoria Easykart125, por ter vencido a última prova, disputada no kartódromo de Évora.

Em caso de empate pontual, os critérios são os seguintes:

a) A favor do Condutor que não tenha sido desclassificado ou excluído por atitudes incorrectas ou fraudulentas, em qualquer prova do troféu.

b) A favor do Condutor que tiver o maior número de primeiras, segundas, terceiras classificações e assim sucessivamente.

c) Numa última fase, o desempate favorecerá o Condutor que obteve a melhor pontuação na última prova do Troféu.

TaG livre

Com 16 pilotos inscritos nesta classe, era aqui que brilhava uma estrela muito especial, Harm Shuurman com o numero (#370) ao volante de um Tonykart, fazia a delicia dos mais novos que sussurram entre eles “ele correu com o Senna”.

Nos treinos cronometrados, Frederico Afonso numero 1 foi quem realizou o melhor tempo seguido por Tomás Gonçalves 357, José Duarte 369 e Harm Shuurman.

Na primeira Manga Frederico Afonso (#1) toma a liderança, tomando conta do lugar da primeira há ultima volta, Tomás Gonçalves (#357) assume o segundo lugar no final da primeira volta e defende-o até ao final da manga. Jose Duarte (#369) abandona no final de segunda volta com problemas técnicos e Harm Shuurman com 65 primaveras assume a terceira posição até ao final da manga. Na quarta posição sempre muito constante, classifica-se Tomas Leitão (#301), sendo José Pereira (#382) a encerrar o top 5.

This slideshow requires JavaScript.

Na segunda Manga tudo se mantém inalterado nos quatro primeiros, sendo de mencionar a excelente recuperação do jovem José Duarte que não tendo terminado a manga anterior, largou para a segunda manga de ultimo e conseguiu uma recuperação de 11 posições em 15 voltas terminando na quinta posição.

Na ultima manga Frederico Afonso volta a tomar conta da dianteira, terminando no lugar mais alto do pódio, no entanto é desclassificado por irregularidade técnica.

Tomás Gonçalves e Harm Shuurman apesar da grande diferença de idades desenvolvem uma corrida super-disputada, contando a partir da sexta volta com a companhia na luta pelo melhor lugar de José Duarte, que mais uma vez veio da oitava posição cheio de vontade de vencer. Mas por vezes vencer não é o mais importante e estes dois jovens deram-nos uma grande lição, e a partir da 12 volta até ao final das 18 voltas ao circuito de Évora foram a guarda de Honra de Harm Shuurman que terminando em segundo, beneficia da penalização a Frederico Afonso e sobe ao lugar mais alto do pódio, Tomás Gonçalves é segundo mas desclassificado por irregularidade técnica sendo José Duarte a receber o merecido segundo lugar, Tomás Leitão mais uma vez com um extraordinário fim de semana a classificar-se em terceiro na geral e primeiro dos Rotax. Alexandre Alves termina na quarta posição e Tiago Costa fecha o top 5.

Shifter Livre

A shifer livre foi a classe com menos participantes, somente quatro estiveram presentes na pista de Évora, mas nem por isso menos interessante.

Nos Cronos Diogo Buizel (#420), estando parado desde 2014, tomou conta da ocorrência realizando o melhor tempo, 41.804, rolando a uma velocidade de 78.193km/h.

Nelson Silva foi o segundo e Tiago Costa o terceiro, Francisco Costa não começava da melhor maneira desistindo na quinta volta.

Na primeira manga Diogo toma a liderança logo na largada, correndo contra ele mesmo consegue bater o seu tempo nos cronos, 41.780. Francisco Costa (#521) que detinha a terceira posição, termina em segundo e Tiago Salvador (#508) que durante 15 voltas se manteve na segunda posição partiu a corrente na 13 volta, sendo forçado a abandonar, bem como Nelson Silva (#584).

Na segunda manga os dois primeiros mantiveram-se intocáveis e em terceiro terminou Tiago Salvador, mais uma vez Nelson Silva com problemas técnicos não conseguiu terminar a manga, tendo de abandonar na sétima volta.

This slideshow requires JavaScript.

Na manga Final mais uma grande lição de desportivismo.

Diogo Buizel lidera do principio ao fim, precedido por Francisco Costa, que termina em segundo.

Na luta pela terceira posição Tiago Salvador e Nelson Silva mantiveram uma luta digna de campeões nas primeiras sete voltas Nelson Silva ocupou o terceiro lugar, nas nove voltas seguintes foi a vez de Tiago Salvador ocupar o terceiro lugar, mas no decorrer da décima sétima volta Tiago Salvador teve um gesto digno de registo, tirou pé e precedeu o colega até há bandeirada final, terminando desta forma Nelson Silva em terceiro e Tiago Salvador em quarto.

This slideshow requires JavaScript.

Ps – Obrigado por momentos destes, por gestos simples, mas cheios de simbolismo que elevam tão alto o verdadeiro espírito desta modalidade e enaltecem a verdadeira Família do Karting.

No final Nuno Inácio fez um balanço muito positivo agradecendo a todos a confiança depositada e deixou bem claro que para 2020 será mais e melhor. Algumas alterações serão implementadas para melhorar ainda mais o troféu tornando-o mais convidativo e competitivo.

Para o ano 2020 serão seis provas, sendo as datas e pistas publicadas até ao final do corrente ano.

Translate »
error

Gostou do nosso trabalho? Por favor, partilhe :)

LinkedIn
Share
Ir para a barra de ferramentas