Kartódromo internacional de Palmela foi a pista escolhida pela Birel Portugal, para mais um encontro da EasyKart.

Relembro para os que estão a ler este artigo e que não conhecem o conceito, que a Easykart – tal como o próprio nome indica – é um troféu desenvolvido pela mais antiga marca de karts no mercado, a Birel ART, destinado a iniciantes na competição ou, até mesmo, a pilotos que não têm orçamento para outras competições que se revelem mais dispendiosas. O conceito Easykart baseia-se na simplicidade técnica que não permite qualquer tipo de alteração, modificação ou, até mesmo, afinação do kart. Ou seja, o kart tem de ser conduzido tal como é entregue pelo fabricante, não podendo o piloto, por exemplo, alterar eixos (ou a sua dureza), modificar o “rapport” (que é definido para cada pista pela organização), ou usar qualquer outra peça que não tenha rigorosamente a mesma referência de fábrica.

Ao nível do motor, a unidade motriz é entregue ao cliente selada e o carburador tem um jet fixo para as altas, podendo o piloto afinar apenas a torneira das baixas.

No traçado que recebeu no passado fim de semana a Taça de Portugal, foram 44 os pilotos que disseram presente para disputar o terceiro rendez-vous da EasyKart.

Na classe dos mais pequeninos a EasyKart 35, contámos com quatro pilotos, dois repetentes e dois estreantes.

José Pinto, Algarvio, é o mais jovem piloto preparado pelo Bruno Correia, responsável pelo Safety Car na Formula E, e que destacou no penúltimo encontro no Bombarral sendo essa a sua primeira experiência de pista, aqui em Palmela chegou viu e venceu. Nos Cronos José Pinto percorreu o circuito de Palmela em 1:20.686, realizando uma média horária de 53.988km/h. Nas mangas de qualificação andou sempre na frente e não deixou margem de duvidas que estava para vencer a final, o que veio a acontece. Trajectória perfeitas permitiram a este jovem piloto aproveitar ao máximo o seu motor destacando-se do seu directo adversário quase 1 segundo.

Em segundo esteve Francisco Iglésias, também ele estreante no conceito EasyKart, realizou duas mangas de qualificação consistentes e na final confirmou o segundo lugar no pódio.

Santiago Alves que no Bombarral foi o piloto vencedor desta classe, em Palmela esteve mais discreto, realizando o segundo tempo dos cronos, em ambas as mangas terminou em terceiro e na manga final voltou a ocupar esse lugar.

Francisco Sotto Mayor foi o estreante destas andanças, sendo uma estreia absoluta no karting em pista e em prova, este jovem deixou muito bons prenúncios do seu potencial, sendo isso o mais importante. Nos cronos realiza um tempo de 1:37.091 rodando a 47.09 km/h, durante as mangas de qualificação vai apurando a sua condução, aprendendo trajetórias e melhorando substancialmente o seu desempenho, chegando há final a realizar um tempo de 1:35.661 a uma velocidade media de 47.794km/h.

Na EasyKart 60, estiveram presentes seis pilotos, todos eles repetentes.

Nos cronometrados foi Diogo Farias que se destacou com o melhor tempo, de 58.283 a uma velocidade de 78.445km/h, ocorrendo que nas mangas de qualificação, a luta foi entre Gustavo Santos e Diogo Frias sendo que na primeira o vencedor foi Gustavo e na segunda foi Diogo quem chamou a si a vitoria, para o terceiro e quarto lugar a luta foi entre Luís Santos e Gonçalo Santos sendo na primeira manga o Gonçalo o vencendo sendo na primeira manga o Gonçalo a ocupar a terceira posição e na segunda manga Luís Santos.

Partimos para a Final com a sensação que qualquer um dos quatro poderia sagra-se vencedor tal o desempenho nas mangas de qualificação. Na final Diogo toma a liderança ate há volta quatro, trocando com Gustavo Silva, posição que voltam a trocar na oitava volta terminando Diogo em Primeiro e Gustavo em Segundo. Na terceira posição termina Gonçalo Dias seguido de muito perto por Luís Santos e Romeu que nesta manga se ambientou muito bem a esta nova classe deixou nas entre linhas, que dentro em breve podem contar com ele na luta pelas posições da frente.

As classes EasyKart 100 e 125 correram mais uma vez juntas e contaram com nove pilotos no total. Na Easykart 100 o destaque foi para o piloto Guilherme Dias que conseguiu a pole e venceu todas as contentas, Pedro Domingos foi sempre o segundo mais rápido, confirmando a posição na final, Guilherme Alves, que nas duas mangas de qualificação teve uma prestação discreta recuperou na final terminando na terceira posição.

Na Easykart 125 Dinis Fialho foi o primeiro a destacar-se com o segundo melhor tempo nos cromos, (mas o melhor da sua categoria), ganhou a primeira manga de qualificação e no decorrer da segunda manga uma anomalia técnica o fez cair na tabela, ficando na terceira posição final.

Na primeira posição surgiu Guilherme Lopes, vencendo a segunda manga de qualificação e a final, seguido por Mário Leal que realizou uma excelente prova de trás para a frente terminando na segunda posição, João Corte Real o Master da 125 esteve sempre muito completivo não deixando os seus créditos por mãos alheias, dando sempre uma excelente replica aos seus adversários (muito mais novos).

 

Na Classe Tag Livre estiveram presentes 18 pilotos, tendo sobressaído logo nos cronos Miguel Afonso, ao volante de um Kart Fullerton (realizando um tempo de 51.155), marca do Terry Fullerton, ex-campeão mundial de Kart, piloto que ganhou notoriedade, no filme Senna, marca representada pelo mecânico/preparador Jonathan Trindade Saramago.

Na primeira Manga de qualificação Miguel e Frederico Afonso ao volante de um Tonykart destacaram-se dos restantes pilotos, Zé Duarte que largou da sexta posição recuperou três posições e termina em terceiro lugar. Na segunda Manga Frederico toma a liderança logo na largada e realiza uma prova sem sobressaltos, terminando na 1ª posição, Miguel a braços com problemas na sua unidade motora cai para a ultima lugar, conseguindo recuperar algumas posições termina na 10ª posição, em segundo termina Bruno Miguel e em terceiro classifica-se Tomás Santos.

Na Final Miguel e Frederico tomam a dianteira terminando em 1º e 2º, mas são desclassificados  por irregularidade técnica. Desta Forma Tiago Costa que largou da sexta posição da grelha realizou uma prova em constante recuperação e termina na primeira posição, em segunda fica José Pereira e na terceira posição termina Zé Duarte.

Na Casse Shifter Livre, estiveram presentes 8 participantes, sendo Bruno Vale o que se destacou logo nos cronometrados realizando o melhor tempo e vencendo todas as mangas e corrida final, Tiago Salvador, que mesmo bastante engripado andou sempre nos lugares da frente terminando na segunda posição, e em terceiro classifica-se Francisco Costa que na primeira e segunda manga se manteve entre o quarto e o terceiro lugar.

Texto e Fotos; José Lourenço/VVlSortImage