Era de esperar que a Taça de Portugal nos corresse bem, afinal o KIP sempre foi a “nossa Pista” eu próprio nos tempos em que corria passava aqui grande parte da semana a treinar.

A Norma apresentou-se na Taça de Portugal, que se realizou no passado fim de semana na pista de Palmela, com cinco pilotos, distribuídos pelas classes de Juvenis, Júnior, X30 e X30 Super Shifter.

Os treinos deixaram-nos logo boas indicações, mas o confronto da competição traz sempre outros dados.

Hugo Mesquita, piloto Açoriano, sobejamente conhecido nas pistas de rally depositava grandes expectativas na Taça de Portugal, participando na X30 Super Shifter, não estava totalmente recuperado da luxação que contraiu na prova de Baltar. Hugo, durante os treinos da manhã de sexta feira andou bastante bem, mas durante a tarde uma pancada num corrector voltou a afectar o ombro, tendo sido aconselhado pelo médico a não realizar a prova.

Na Juvenil, Francisco Neves, estreava-se na Taça de Portugal e realizava a sua segunda prova Nacional.

Muito combativo Francisco tinha as limitações naturais de quem está muito no principio, não conseguindo nos cronometrados melhor do que o 11º tempo. Nas duas mangas de qualificação que se realizaram com chuva, Francisco não teve a vida simplificada ainda para mais num pelotão tão competitivo como o da Juvenil, largando da décima segunda posição para a Final, realiza uma boa prova recuperando quatro posições terminando no oitavo lugar.

Na classe X30 estiveram presentes Álvaro Garcia Montenegro e Jesse Doorgeest, nos cronometrados Álvaro não foi feliz e não conseguiu melhor do que 17ª posição, Jesse bastante motivado conseguia o 4º melhor tempo a escassos 0.117 do líder.

Na primeira manga de qualificação, Álvaro sempre muito lutador, realiza uma boa prova, conseguindo recuperar cinco posições, termina em 12º, no entanto sofre penalização de 3 segundos por saída parcial dos corredores.

Jesse na cabeça da corrida discute a primeira posição durante sensivelmente meia prova, altura em que realiza um pião e cai para sétima posição final, sendo penalizado com 5 segundos por ter o deflector frontal metido para dentro termina na 8ª posição.

Na segunda manga Álvaro recupera cinco posições terminando na 7ª posição e Jesse sobe dois lugares fixando-se na 6ª posição.

Contas feitas, na final Jesse larga da 6ª e Álvaro da 10ª posição.

Com as condições climatéricas substancialmente melhores e com a pista seca foi possível assistir a uma excelente prova, Álvaro Garcia Montenegro que largou da 10ª posição, recuperando ate há sexta posição, no final beneficia da penalização aplicada a um piloto que o antecedia, terminando na quinta posição.

Jesse Doorgeest que partiu da sexta posição, disputou a prova como se estivesse na montanha russa, ora ganhando posições ora perdendo, acabando por terminar a corrida na sétima posição, no final é-lhe aplicada uma penalização de 5 segundos que o relega para a 10ª posição.

Pedro Perino na Júnior estava muito motivado, depois do resultado de Baltar estava decidido a atacar a Taça de Portugal, ainda para mais esta é para ele uma pista bem conhecida e onde inclusivamente já ganhou, não fosse a inexplicável decisão tomada pela organização na primeira manga de qualificação ao fechar a entrada para a pré grelha a seis pilotos.

“Não se entende o porquê de uma reacção destas, tanto mais que já tínhamos verificado e estávamos somente a aguardar a nossa vez para entrar. Se queriam verificar escapes deveriam ponderar onde faze-lo e deixar entrar quem já estava despachado, é inadmissível uma situação destas.”

Na segunda manga de qualificação, saindo de 14º consegue recuperar seis posições, não evitando uma penalização de 3 segundos, por saída parcial dos corredores durante a largada. Para a final Pedro sai da 15ª posição sabendo que é uma tarefa difícil, termina na 11ª posição sofrendo uma penalização de 5 segundos por ter a carenagem frontal para dentro.

“Conclusão é normal que estejamos desanimados com a organização pois situações destas não podem acontecer, são actos que hipotecam um fim de semana de um piloto e lançam por terra horas e horas de treino e todo o trabalho de uma equipa. “

Comunikart