Um tempo bastante instável, brindou a edição de 2019 da festa do Karting Nacional. Realizado no fim-de-semana de 1 a 3 de Novembro, no Kartódromo Internacional de Palmela, o evento a cargo do Kart Clube de Lisboa, deu uma enorme dor de cabeça aos participantes, pois o tempo esteve sempre em mudança, alternando os aguaceiros com “rasgos” de sol, que secavam a pista num instante. Assim sendo, seriam os concorrentes mais ousados, a terem hipóteses de obter um bom resultado.

Tudo no Kartódromo esteve excepcional e embora o tempo não convidasse muito, o número de espectadores, foi muito superior a qualquer previsão feita. Após a apresentação dos pilotos e de todos os responsáveis, a corrida final, foi abordada por todos como a decisiva de todo o fim-de-semana.

Na categoria Iniciação, Romeu Mello e Guilherme Morgado, passaram todo o evento em intensa discussão pela liderança. Foi normal ver, ora um, ora outro, a “dançarem” na traseira do adversário em várias tentativas de ultrapassagem. Chegaram mesmo a tocar-se no decorrer da segunda corrida de qualificação, terminando esta final, separados por apenas 0,136s. Guilherme Morgado, foi o vencedor na frente de Romeu Mello, que assinou a melhor volta da final e Xavier Lázaro. Joana Lima foi quarta, seguida de Francisco Correia e Francisco Iglésias.

A Categoria Cadetes, Tiago Lima esteve impecável todo o fim-de-semana. Com um excelente andamento e com uma equipa que acertou em tudo. Tanto em seco como em molhado, Tiago Lima, foi muitas vezes o piloto mais rápido em pista, vencendo a final com um avanço de 3,512s sobre Santiago Alves e Maria Germano Neto. Enquanto Santiago Alves, fez uma corrida final mais descansada, Maria Germano Neto, teria de se aplicar bastante, recuperando quatro posições. Nas posições seguintes, ficariam Rodrigo Seabra, Tomás Gomes, Diogo Caetano, Martim Marques, João Barros, Gabriela Teixeira, Jorge Saraiva, João Pereira, Gustavo Silva e Beatriz Costa.

A categoria Juvenis, foi das que provocou mais apreensão, pois quase sempre, houve alterações do tempo durante as provas de qualificação. Assim sendo, assistiu-se a uma final, onde alguns pilotos apostaram em pneus de chuva e outros nos “slick’s”. O resultado foi bem evidente, pois após algumas voltas, a pista secou e o andamento dos que tinham “slick’s”, “disparou”. Miguel Couteiro, foi o grande vencedor desta categoria, sendo também o mais rápido em pista. Diogo Castro e Manuel dos Santos, foram segundo e terceiros classificados, seguidos de Rodrigo Ferreira e Henrique Oliveira. Todos os anteriores pilotos, correram com “Slick’s”, e Adrian Malheiro, foi o primeiro que utilizou os de chuva. Mesmo assim, Adrian conseguiu rodar abaixo do minuto, mas acabou a prova em sexto lugar. O sétimo foi Pedro Barbosa, seguido de Francisco Neves, José Pinheiro e Rodrigo Vilaça. Martim Hatzakis, nem chegou a iniciar a prova e Yllenia Sendon, seria desclassificada. Uma excelente aposta dos três primeiros, resultou no domínio de Miguel Couteiro, que esteve todo o fim de semana nos lugares cimeiros e também de Diogo Castro e Manuel dos Santos, com prestações sempre perto do pódio.

A Categoria Júnior, foi bastante atribulada, pois logo na primeira corrida de qualificação, sete dos dezanove pilotos, ficaram inexplicavelmente fora da pré-grelha, não participando na qualificação e oito acabaram penalizados por varias razões. Na segunda, os concorrentes foram mais “comedidos” mas mesmo assim, houve sete penalizações e uma ausência. No final, Ivan Domingues seria o vencedor e embora tivesse um fim de semana isento de penalizações, foi dos mais azarados na primeira qualificação, o que o obrigou a fazer “corridas ao ataque”, para recuperar as posições perdidas. Na final, e após três tentativas para se iniciar a prova, Ivan Domingues conseguiu assumir a liderança, aguentar a pressão e ganhar vantagem. No segundo lugar, ficaria Rodrigo Testa e este foi o piloto que mais consistência teve ao longo do evento. Santiago Ribeiro fechou o pódio, e foi um excelente prémio para quem fez tão boa recuperação. Nas posições seguintes ficariam José Barros, Tomás Ribeiro, Miguel Silva, Luis Alves que assinou a melhor volta da final, Guilhermo PÉrnia, Duarte Pinto Coelho, Luis Leão, Diogo Martins, David Sobreiro, Manuel Soares, Pedro Perino, Francisco Serôdio, Tomas Martins, Francisco Costa, Tomás Rodrigues e Mário Borges.

A categoria X30, acabou por ter uma final bem atribulada. Manuel Leão, seria o vencedor e afirmar-se-ia como o piloto mais regular desta categoria. Essa afirmação, devia-se muito ao fato de ter estado desde os treinos cronometrados, entre os três pilotos mais rápidos nas qualificações. Na final, Manuel Leão, manteve-se sempre na frente da prova, controlando muito bem o seu adversário mais directo. Guilherme Gusmão, foi o piloto que maior frente fez ao vencedor. Nunca abrandou o seu ímpeto, saindo da prova com o melhor registo de volta. Para a terceira posição, o caso da prova, partindo da quarta posição, Gabriel Caçoilo, cairia para sexto, obrigando-o assim a uma recuperação. Após ter passado por Zdenek Chovanec e Jesse Doorgeest, Caçoilo “atacou” a posição de Guilherme de Oliveira e as coisas não correram nada bem para os dois pilotos. O terceiro lugar ficaria na posse de Tomás Caixeirinho e este acabou por ser, a grande surpresa da prova. Tomás partiu da décima terceira posição, conseguiu evitar todos os problemas em pista, foi sistematicamente o mais rápido e cortou a meta com uma vantagem de 0,058s para Mariana Machado, Álvaro Garcia e Manuel Silva, recuperando assim, dez posições. Zdenek Chovanec seria sétimo, seguido de Lourenço Monteiro, Rodrigo Lessa, Jesse Doorngeet, Luís Caetano, Noah da Silva, Tomás Guedes, Christian Dominguez, Dennis Oliveira, David Represas, Guilherme de Oliveira e Gabriel Caçoilo terminaria desclassificado.

Também na categoria X30 Super Shifter, as coisas estiveram “quentes” dentro de pista. Há passagem da quarta volta da corrida final, na saída da parabólica interior, Yohan Sousa, conseguiu superar Hugo Marreiros. Tiago Teixeira, tentou aproveitar a oportunidade na sua frente e envolveu-se com Hugo Marreiros. O acidente foi impressionante, com o kart de Marreiros a passar por cima do piloto da CRG. Tiago Teixeira, deixaria o publico bastante apreensivo, pois durante algum tempo, não se mexeu dentro do veiculo bastante danificado. O piloto está actualmente bem. Na frente, não foi de estranhar a presença de Rodrigo Ferreira e Yohan Sousa, pois os dois pilotos, mantiveram-se sempre no grupo da frente das corridas de qualificação. No entanto, o terceiro da geral (Ricardo Borges), teve de “fazer pela vida” e após uma primeira corrida de qualificação onde nem completou uma volta, avançou para a segunda, alcançando o quarto posto. Após partir da décima primeira posição para a corrida final, tornou a fazer um “brilharete”, terminando no terceiro posto. Se todos os três primeiros, foram da categoria sénior, o quarto posto Vasco Lázaro, seria o primeiro da categoria master. O quinto lugar seria o segundo da Master (Fábio Mota) e o sexto (Paulo Martins) o terceiro da Master. Duarte Mano (Sénior), seria sétimo, seguido de: André Serafim (Master), Nuno Portela (Master), Joel Magalhães (Master), Ilídio Fernandes (primeiro da Gentleman), Telmo Oliveira (segundo da Gentleman, João Paulo Cunha (terceiro da Gentleman), Hugo Marreiros (Master) e Tiago Teixeira (Sénior), João Dias, acabaria desclassificado devido a infracção técnica.

No fim, a entrega de prémios foi de grande animação e abrilhantou ainda mais, esta grande festa do Karting Português no ano 2019.

Texto; Paulo Campos

Fotos; VVLSportImage/José Lourenço