Dom. Set 27th, 2020

Tudo sobre o Karting de competição

Pilotos Portugueses Com Dia Dificil no Brasil

4 min read

 

O dia de ontem nas Rotax Max Challenge Grand Finals foi o primeiro realmente a contar no início da matemática que ditará quem participa ou qual a ordem de partida para as decisivas Finais do próximo sábado. Se nas categorias para os pilotos mais jovens, Mini-Max e Micro-Max, apenas está presente no máximo um representante de cada país, o que em circunstâncias normais garante a presença de todos nas Finais, já nas restantes categorias o mesmo não acontece, sendo necessário colocar o foco na eficiência e regularidade para garantir um lugar na corrida de todas as decisões.

A fase dos treinos cronometrados e primeiras mangas de qualificação concluiu-se ontem e excepção feita a Guilherme Oliveira, todos os outros representantes portugueses tiveram um dia em que a sorte não acompanhou os bons desempenhos assegurados nos treinos cronometrados. A única excepção a esta evidência foi o nosso representante na Júnior, Guilherme Oliveira, que até agora não viu o infortúnio atrapalhar o seu brilhante desempenho. Mas, vamos um a um, contar dentro do possível o que passou ontem no Circuito Internacional Paladino.

José Barros (Mini-Max)

O piloto mais jovem dos portugueses que estão no Brasil, não começou mal a sua prestação no dia de ontem, assegurando o 14º melhor tempo nos treinos cronometrados, entre 27 pilotos. Barros efectuou a sua melhor volta da sessão em “57.26s, o que o deixava a pouco mais de três décimas da pole position.

Na única manga de qualificação que disputou ontem, saindo da 7ª linha, José Barros acabou por não largar bem e caiu para 19º no decorrer da primeira volta. O português acabou no entanto por em corrida recuperar o seu melhor ritmo e pouco depois era já 13º. Na última volta, na tentativa de ganhar mais uma posição, tentou forçar a ultrapassagem, mas não foi bem sucedido e acabou por perder quatro posições. Ainda assim, concluiu a prova em 13º.

Guilherme de Oliveira

De todos os pilotos portugueses a competir no Brasil, Guilherme de Oliveira foi o único que não teve o azar a importunar a sua prestação no dia de ontem. Nos treinos cronometrados, esteve brilhante ao assegurar o 7º melhor tempo, entre um total de 72 pilotos, 69 dos quais rodaram no mesmo segundo.

Na manga de qualificação, o jovem português tornou a superar todos os desafios, concluindo num magnífico 3º lugar. Para o dia de hoje, o foco está em manter a humildade e trabalhar com afinco para continuar neste mesmo registo de performance.

Gonçalo Coutinho

Depois de nos treinos cronometrados da Sénior, Gonçalo Coutinho ter assegurado a 17ª posição, o português tinha em perspectiva um dia difícil, em que disputaria a manga de qualificação no meio do pelotão, do ‘barulho’. No entanto, a corrida não começou mal e o Gonçalo veio evoluindo e ganhando posições. No final, o resultado de muito empenho e vontade na pista foi um fantástico 7º lugar. O português ‘queimou’ a primeira etapa com sucesso e hoje irá decerto com outra motivação para a 2ª manga de qualificação. Convém referir que a Sénior é uma das categorias em que apenas os 36 melhores estarão presentes na Final.

Mariano Pires

Inserido noutra das categorias mais equilibradas  de todas as que competem no Circuito Internacional Paladino, a DD2, Mariano Pires começou o dia de ontem a brilhar nos treinos cronometrados, assegurando o 6º melhor tempo na sua série, a menos de quatro décimas da pole position, o que lhe garantiu o 9º melhor tempo absoluto. Na manga de qualificação, o português não teve sorte pois um acidente com pilotos à sua frente acabou por o envolver e atrasar, até ao 26º lugar. Mariano Pires deu uma real noção do seu talento e foi galgando posições na corrida, para concluir no 13º lugar. Foi realmente uma pena o que lhe sucedeu na primeira volta, pois o seu ritmo era claramente o da ‘cabeça da corrida’.

Pedro Pinto

Também inserido na categoria DD2, Pedro Pinto não teve um dia fácil, ontem no Brasil. Nos treinos cronometrados, acabou por não conseguir melhor que o 22º tempo da sua série. Na manga de qualificação, Pedro Pinto partiu bastante bem, mas acabou por ser abalroado por outro piloto, não evitando um pião, sendo ainda atingido na frente por um outro kart. Embora recuperando posições na corrida, o português foi penalizado no final por ter o bico do seu kart danificado. Acabou em 24º.

Rui Pereira

Em todas as sessões de treinos livres, Rui Pereira deixou excelentes indicações de que poderia lutar pelo menos pelo top 5 da DD2 Master. Só que, a partir dos treinos cronometrados, o português viveu um autêntico pesadelo ontem no Brasil. Antes do início da sessão, começou a ter problemas eléctricos no seu kart, o que lhe veio a causar sérios danos ao nível dos tempos. Incapaz de fazer melhor que o 29º tempo na sua sessão, o português reportou à Rotax o seu problema, tendo a organização tentado encontrar uma solução antes da primeira manga de qualificação. Tal não veio, no entanto a acontecer e na corrida, Rui Pereira acabou por não conseguir melhor que o 27º lugar. O português queixou-se no final à organização, já que o seu kart estava com sérios problemas eléctricos e constantemente a desligar-se em plena recta. A organização ficou com o kart no final para efectuar as necessárias alterações com vista ao dia de hoje, no qual se correm duas mangas de qualificação.

Texto: Jorge Cabrita
Fotos: José Lourenço (arquivo), Rotax

Translate »
error

Gostou do nosso trabalho? Por favor, partilhe :)

LinkedIn
Share
Ir para a barra de ferramentas